Estratificação de risco em saúde mental para o processo de triagem em uma clínica escola

  • Rafael Corrêa Universidade de São Paulo
  • Amanda Goedert FAG University Center, Cascavel, Brazil
  • Hemily Araújo FAG University Center, Cascavel, Brazil
  • Claudia Barbosa State University of Western Paraná, Foz do Iguaçu, Brazil

Palabras clave:

Clínica escolar, estratificación de riesgo, salud mental

Resumen

Introdução: Considerando a demanda atendida em uma clínica-escola, se faz necessário uma classificação de risco para o planejamento e otimização dos atendimentos clínicos e programas em saúde mental.

Objetivo: Analisar a classificação de risco em saúde mental dos usuários de uma clínica-escola, a partir da triagem psicológica.

Metodologia: Pesquisa quantitativa, transversal e descritiva realizada com 85 participantes. Para análise dos dados foram utilizadas análises descritivas, na amostra geral e por sexo.

Resultados: A classificação de risco em saúde mental dos participantes foi de baixo risco, sendo mais frequente os sinais e sintomas como ansiedade, insônia, tristeza, desesperança, pensamentos de inutilidade e sentimento de culpa, com maior porcentagem nas mulheres.

Conclusão: O estudo confirma um baixo risco em saúde mental dos participantes da pesquisa, indicando a continuação do monitoramento dos dados e ampliação das estratégias utilizadas para o acompanhamento dos usuários, de saúde mental, na clinica-escola.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Altmetrics

Citas

Barlow, D. (2002). Anxiety and its disorders: The nature and treatment of anxiety and panic. New York: Guilford Press.

Campos, G. W. S. , Domitti A. C. (2007). Apoio matricial e equipe de referência: uma metodologia para a gestão interdisciplinar em saúde. Cad Saude Publica. 23 (2) 399-407.

Cavalheiro, N. C., Garcia, B. C., Iwata, H., Pace, J., Jr., Rosa, H. R., Valente, M. L. L. C., & Migliorini, W. J. M. (2012). Triagem interventiva: A caracterização de uma demanda. Revista SBPH, 15(2), 3-16.

Chammas, D. (2010). Triagem estendida: um modo de recepção de clientes em uma clínica- escola de Psicologia. 2009. 139 f. Dissertação (Mestrado em Clínica) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Giovanella, L. (2009). Reformas de sistemas de saúde: novos modelos integrados de atenção na Alemanha. SER Social, [S. l.], n. 10, p. 115–146.

Gomes, R.; Nascimento, E. F.; Araujo, F. C. (2007). Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 23, n. 3, p. 565-574.

Guedes, A. P., Waihrich, F. G., Figel, F. G., Murta, J. E., Yamaguchi, L. S., Sousa, M. C., Tabuti, R. C. T., Gonçalo, S. L., Leal, V. C. S., Gonçalves, W. C. B. (2020). Instrutivo para aplicação do instrumento de estratificação de risco em saúde mental. Cosems/PR.

Herzberg, E. (1999). Efeitos psicoterapêuticos do processo psicodiagnóstico: Vivências do psicólogo em formação. Anais do Congresso Nacional de Avaliação Psicológica. Porto Alegre.

Herzberg, E., & Chammas D. (2009). Triagem estendida: serviço oferecido por uma clínica-escola de Psicologia. Paideia, 19(42), 107- 114.

Krug, J. S., Boeckel, M. G., & Andrade, R. (2016). Entrevista de triagem: O primeiro encontro no serviço-escola. In: Krug, J. S., Prati, L. E., & Boeckel, M. G. (Orgs.), Fundamentos e práticas em serviço-escola: Espaço potencial de formação em psicologia Juruá.

Mendes, E. V. (2012). O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização PanAmericana da Saúde.

Moreira, W. C., Sousa, A. R., Nóbrega, M. P. S. S. (2020). Adoecimento mental na população geral e em profissionais de saúde durante a covid-19: scoping review. Texto & Contexto Enfermagem, v. 29: https://doi. org/10.1590/1980-265X-TCE-2020-0215

Peres, S. R.; Santos, M. A. & Coelho, H. M. D. (2003). Atendimento psicológico a estudantes universitários: Considerações acerca de uma experiência em clínica-escola. Estudos de Psicologia, 20 (3), 45-57.

Pigott, T. (2002). Anxiety Disorders. In: Kornstein, S. & Clayton, A. Women’s mental health- a comprehensive textbook. New York: Guilford Press.

Rocha, M. C. (2011). Plantão psicológico e triagem: Aproximações e distanciamentos Revista do Nufen., 3(1), 119-134.

Romaro, R. A. & Oliveira, P. E. C. L. (2008). Identificação das queixas de adultos separados atendidos em uma clínica-escola de Psicologia., Psicologia Ciência & Profissão, 28(4), 780-793.

World Health Organization. (2014). Mental health: a state of well-being. WHO.

Publicado
2023-02-02
Cómo citar
Corrêa, R., Goedert, A., Araújo, H., & Barbosa, C. (2023). Estratificação de risco em saúde mental para o processo de triagem em uma clínica escola. Análisis Y Modificación De Conducta, 49(179). https://doi.org/10.33776/amc.v49i179.7434
Sección
Artículos